logocf.png

Siga nossas redes sociais

      
Empresa Familiar

Sueli Garcez aposta em produção artesanal de chocolates para Páscoa em São Chico

Chocolates Garcez garante seu espaço oferecendo doces artesanais mesmo com a chegada de novas redes de supermercado

Júlia Vieira
Foto: Júlia Vieira/Jornal Correio Francisquense

Sueli Garcez sempre foi curiosa e interessada em trabalhos manuais que poderia realizar no ateliê de sua casa. Começou com o artesanato, depois que fez cursos na Casa da Cultura, em São Francisco do Sul. Passou para as cestas de Páscoa depois de aprender com uma cliente da antiga loja de materiais de construção da sua família, até que começou a vender chocolates para ganhar um dinheiro extra, o que, anos depois, se tornaria sua maior fonte de renda.

A francisquense relata que a produção ainda é amadora. Depois das festividades do fim do ano é que começa a pensar na Páscoa. Tanto as cestas quanto os chocolates não podem ser feitos muito antes. As cestas porque o papel de seda perde cor se ficar muito tempo em exposição. Já os chocolates são devido ao derretimento por não ter uma câmara fria. Sueli explica que é impossível faze-los e estocá-los durante a estação de verão. Então, a produção artesanal começa bem próximo da Páscoa, cerca de duas semanas antes.

Os Chocolates Garcez já conta com clientes fixos nessa data. Feitos de chocolate nobre, ela vende um cardápio extenso de opções durante todo o ano com alfajores, pães-de-mel, barrinhas de chocolate, bombons, entre outos. Em especial, na Páscoa, oferece cascas de ovos, ovos trufados e de colher.

A chegada de novas redes de supermercados e atacadistas na cidade não tem afetado suas vendas. "Esse ano era pra gente estar na aflição, porque tem três supermercados grandes aqui e todos vão vender chocolate. É um risco que a gente corre, porque tem gente que não compra se não for da marca. Agora tem gente também que dá preferência para o chocolate artesanal" diz. Ela explica também que os ovos dela acabam saindo mais em conta do que os ovos industriais de grandes marcas. "Eu tenho um ovo aqui que sai por R$ 12. A média de preço dos chocolates Garcez vai de R$ 1 a R$ 55", conta.

Das doações ao negócio

A ideia da empresa familiar Chocolates Garcez iniciou de um gesto simples e bondoso: a doação de saquinhos de doces, nessa época, que no princípio foi para a Igreja Católica do Miranda e depois passou para crianças e famílias próximas.

Foi uma amiga de Sueli que a abriu os olhos para a próxima paixão de sua vida, os chocolates. Ela que explicou a microempreendedora que seria mais vantajoso derreter as miudezas que comprava no supermercado para doações e fazer os próprios doces. "Eu fazia para doar na Páscoa, e comecei a fazer para a família comer", conta. Inquieta, logo também fez um curso no Senac e ampliou seu leque de opções.

O negócio se tornou mais conhecido quando Sueli deixou uns pães-de-mel no Café do Museu do Mar, do saudoso radialista Cesar Santos. Um frequentador do Café, na época, o secretário municipal de Agricultura e Pesca, Fábio Zattar, experimentou o quitute e pediu para o Cesar falar com a produtora para entrar em contato com ele. A partir daí, em 2014, o Chocolates Garcez participou da Feira do Produtor na cidade e não parou mais.





15372217003380.png

Correio Francisquense - Fone: (47) 9172-6939
Rua: Marcílio Dias, 425 sala 09 São Francisco do Sul - Santa Catarina

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados