logocf.png

Siga nossas redes sociais

      
Economia

Em SFS o novo decreto para Covid-19 é contestado pelos comerciantes. A partir de segunda-feira haverá algumas flexibilizações

A Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) e Associação Comercial de São Francisco do Sul (ACISFS), com vereadores e proprietários lojistas estiveram no gabinete do prefeito, nesta sexta-feira (10), para discutir sobre as medidas do novo decreto para combater o avanço da Covid-19 (coronavírus) no município. Para os comerciantes o decreto deveria ter sido discutido com a classe econômica. A forma como foi feito impactou muito o comércio local, sendo totalmente impositiva.

O presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), Maurício Rodrigues afirmou que a informação sobre o novo decreto ocorreu muito em cima da sua consolidação e somente foi permitido contemplar uma sugestão quanto a comercialização pelo delivery, outras solicitações não foram contempladas.  

"Quando soubemos que o novo decreto já estaria consolidado e não haveria mais como ter a nossa participação com sugestões, conversamos com alguns comerciantes para nos reunir com o executivo municipal. Sabemos que o decreto influencia diretamente na economia da cidade, na geração de empregos e arrecadação de impostos. Sendo os pequenos comerciantes os mais prejudicados e não os grandes. Protocolamos nossas solicitações, mas na reunião já vimos uma grande abertura para o diálogo - o executivo municipal como Secretaria de Saúde e Defesa Civil demonstraram bastante receptivo para que haja uma flexibilização a partir de segunda-feira (13), disse.

O presidente da Associação Empresarial, Bruno Lobo, afirma que o fechamento total do comércio e muito prejudicial aos pequenos e microempreendedores. "Não somos contra as medidas, mas gostaríamos de poder participar com sugestões e encontrar um ponto de assertividade para amenizar os impactos do fechamento total", comenta.

Em nota, a prefeitura municipal afirma que ficou definido na reunião que, no decorrer da próxima semana, será analisada a flexibilização de alguns setores do comércio. A definição ficou instituída no decreto n° 3.389, que informa que a Secretaria de Saúde fica autorizada a emitir portarias a respeito da flexibilização das atividades suspensas, após dados técnicos e observações de medidas sanitárias adequadas.

Prefeito Renato Gama Lobo comentou sobre a reunião. Para ele a preocupação é grande com a saúde das pessoas e com a falta de leitos de UTIs no estado.

"O fato real é que o sistema regional de saúde entrou em colapso e São Francisco do Sul depende dos hospitais da região para atender os pacientes francisquenses. As cidades que possuem Hospitais com UTI não estão conseguindo atender as demandas, as UTIs estão lotadas, e mesmo que São Francisco do Sul tivesse 100 leitos de UTI, todos estariam lotados com alguns leitos com nossos pacientes e demais com pacientes da região e sabemos que são muitas cidades que possuem UTIs. As medidas são para conter o avanço do Covid-19 e, claro, precisamos nos adequar, vamos com cautela flexibilizar. Precisamos contar com todos, quem puder fique em casa, faça compras on-line, vá com cuidado ao mercado, se cuidem, fala prefeito Renato.

Editado: 

Na reunião participaram oito dos nove vereadores, (menos vereador Cris Manão. Segundo vereador Dioclésio Antunes, todos os vereadores são a favor que tenha uma flexibilização do decreto porque entendemos o momento, mais os empregos também são muito importante para a vida das famílias francisquences.



15372217003380.png

Correio Francisquense - Fone: (47) 9172-6939
Rua: Marcílio Dias, 425 sala 09 São Francisco do Sul - Santa Catarina

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados