logocf.png

Siga nossas redes sociais

      
Política

Impresso: O que esperar da Câmara? Com 8 cadeiras renovadas, a expectativa dos eleitos é de muito trabalho

Correio Francisquense traz com exclusividade os anseios da ''Nova Câmara de Vereadores'' francisquense

Por Jota Amaral 

Das nove vagas em disputa, oito foram preenchidas por quem nunca esteve lá. Ao menos no papel de vereador. E dos oito novos vereadores, apenas dois tinham alguma experiência em cargos públicos. Essa é a ''Nova Câmara'', com a presença de distintos grupos políticos e que terá muitos desafios, entre eles, lidar com as divergências partidárias.

O mais votado, com 1.177 votos, Fernando Ledoux, é natural de São Francisco do Sul. ''Sempre gostei de política, desde a adolescência, sempre muito presente em minha família, da época dos meus avós ainda. Ajudei na coordenação de várias campanhas pra prefeito e pra vereador, onde aumentou a vontade de um dia participar como candidato, até chegar este hora em 2020'', conta.

Filiado ao PP há 12 anos, Ledoux diz que ''durante o período eleitoral o que mais me chamou a atenção foi a vontade do povo em renovar os cargos eletivos e por pessoas com mais potencial de realizar um bom trabalho''. Para os próximos quatro anos, afirma ter ótimas expectativas ''uma pela renovação quase completa e outra pelo potencial dos vereadores eleitos'', conclui.

Colega de partido de Ledoux, Rangel Friolin (PP), tem uma trajetória ligada a educação, por ser professor efetivo do Estado, e também com a cultura, pois esteve na direção da Fundação Cultural recentemente. Nascido em Orleans, sul do Estado, Rangel veio cedo para São Francisco.

Com 863 votos, ele revela que ''ter um vereador que frequente o bairro, que ouça as pessoas e leve as demandas ao prefeito'' foi que mais chamou a atenção durante a campanha.

Para os próximos quatro anos, Rangel afirma que ''são 8 pessoas novas, isso mostra como a sociedade quer a mudança e precisamos mostrar isso!''

Outro novato no legislativo é bem conhecido da população por sua atuação como atleta. Com 816 votos, Cafu (Cidadania) venceu uma disputada corrida por uma das vagas na Câmara.

Nascido na Capital do Estado, veio muito cedo para São Francisco do Sul e após uma longa trajetória irá ocupar uma das nove cadeiras da casa. Ele revela que ''O principal pedido era que não parasse de visitar os bairros após eleito, muitos se sentem esquecidos depois do período eleitoral. Com isso me comprometi, através da minha proposta do gabinete itinerante, a estar presente nos bairros disposto a ouvir as necessidades de cada munícipe. ''.

Segundo vereador negro na história da cidade, Cafu espera que essa nova legislatura ''em conjunto com o prefeito, trabalhar por um único objetivo, fazer o melhor para nossa querida São Francisco do Sul''.

Outro nome novo é o de Sidnei de Mira, ou somente Mira da Estiva (MDB). Com 24 anos de atuação no Sindicato dos Estivadores, dedicou 13 anos atuando na direção e será a voz do trabalhador portuário na Câmara.

''Participei de dois pleitos eleitorais, sendo eleito no terceiro. Neste meio tempo me preparei na formação cursando primeiramente Gestão Pública, e posteriormente Direito, adquirindo assim conhecimentos sobre o legislativo e executivo'', revela. Foram 810 votos para alcançar uma vaga.

Durante a campanha, Mira se deparou com as mais diversas reivindicações do eleitorado. ''Os eleitores reivindicam saúde com mais médicos para atendimento e mais remédios para distribuição, mais postos de saúde em comunidades isoladas, bem como educação, segurança, especialmente a segurança nos colégios, saneamento básico, turismo'', conta.

Para Mira, união é a palavra chave para a próxima legislatura. ''Precisamos da união de todos os representantes eleitos para juntos trabalharmos em prol da comunidade'', conclui.

Eleito com 652 votos, Sérgio Amaral (Cidadania) é de uma tradicional família de pescadores francisquenses. Filho do ex-vereador Rui Sérgio dos Santos, Sérgio Amaral foi registrado como Sérgio Luiz dos Santos.

''Senti a necessidade de sair a vereador, pois fui Presidente da AMOEF (Associação de Moradores da Estrada do Forte) durante 3 anos e percebi os anseios da comunidade, e com incentivo do meu pai, família e muitos amigos decidi concorrer as eleições municipais'', conta.

Atuando, principalmente, com os pescadores artesanais e profissionais da cidade, Sérgio revela que a ''renovação foi o que mais me motivou durante nossas caminhadas. Precisamos de vereadores atuantes e presentes na comunidade, por mais saúde, educação, esporte para todos''.

Com relação ao andamento da Câmara em 2021, ele acredita que será ''uma gestão com muito trabalho e fiscalização, vamos trabalhar em conjunto Prefeitura, Comunidade e Câmara, assim teremos uma parceria forte. Como houve 90% de renovação há expectativa é de muito trabalho principalmente no social, onde quero ter um carinho especial no meu mandato'', conclui.

Nascido em Massaranduba, Laurecir Fleming, o Alemão da SB (MDB) chegou a Câmara com 523 votos.

Morador da Praia do Ervino há 15 anos e conhecedor de São Francisco do Sul há mais de 35, atua como empresário no ramo da construção.

''Sempre fui atuante na sociedade francisquense, dando total atenção aos que realmente precisam de ajuda em todos sentidos''. Sobre a nova legislatura ele não se manifestou.

A penúltima vaga foi preenchida por Leonardo de Camargo, o Léo da Agroléo (Podemos) com 513 votos. ''Sempre gostei de política, porém de uma forma menos ativa. Nesse ano com o incentivo de dois amigos (Renato e Ico) eu lancei meu nome como candidato pelo partido Podemos e a trajetória foi árdua, não foi fácil chegar até aqui como vereador eleito'', conta. Na campanha ouviu dos eleitores pedidos claros. ''que os vereadores cumprissem com o seu papel de fiscalizar, seja os gastos com o dinheiro público ou a falta de médicos na cidade por exemplo. Ter um vereador que realmente fiscalize o poder executivo''.

Léo espera que nos próximos 4 anos ''todos os vereadores façam um bom trabalho para toda a comunidade, essa composição representa a renovação, sendo que apenas um candidato foi reeleito''.

A última vaga ficou com o curitibano, criado na Praia do Ervino, Alan Vizoto (PL), com 462 votos. ''Já vínhamos trabalhando desde a eleição passada quando fomos candidato, mas infelizmente não obtivemos a vitória'', diz.

O descontentamento com a política foi a voz das ruas para Vizoto. ''Foi o sentimento de mudança. As pessoas estão desacreditadas dos politicos e da politica, e esse será um dos grandes desafios do legislativo. Esperamos que os vereadores eleitos possam entregar serviço de qualidade para a população, entregando demandas e também fazendo o trabalho fiscalizatório para que tudo possa correr bem'', conclui.

*Até o final da edição não recebemos o retorno com as informações do vereador reeleito Edson Luiz Duarte, o Edinho.



15372217003380.png

Correio Francisquense - Fone: (47) 9172-6939
Rua: Marcílio Dias, 425 sala 09 São Francisco do Sul - Santa Catarina

Copyright © 2018. Todos os direitos reservados